O Que é Ser uma Camgirl e Porque Muitas Mulheres Se Tornam Uma

Para muitas mulheres, atualmente ser uma camgirl vai além do dinheiro extra no final do mês; aumentar a autoestima da mulher e o sentimento de poder são só alguns dos benefícios.

O termo camgirl veio à tona no Brasil depois da participante Clara, do BBB de 2014, expor aos espectadores sua forma de ganhar dinheiro: shows de exibicionismo online, aproveitando-se de suas belas curvas e desenvoltura sexual para deixar os homens de queixo caído sem precisar de contato íntimo com ninguém.

Em entrevista à Revista Sexy, a loira afirmou que chegou a receber convites para participar de filmes pornôs, mas a resposta foi sempre negativa. “Hoje em dia, ganha-se muito pouco. O que eu fazia na câmera, me dava muito mais dinheiro.”

As meninas que são camgirls hoje em dia, sempre deixam muito claro aos usuários que entram em suas salas de bate-papo: o contato é somente virtual. Afinal, ser uma camgirl e se utilizar da própria sensualidade para ganhar dinheiro, não se enquadra no perfil das meninas que entram para a prostituição, visto que não há contato pessoalmente.

Já no mundo todo (e ganhando força no Brasil), muitas mulheres optaram por essa atividade para conseguir pagar as contas de casa, afinal, o interesse masculino tem aumentado rapidamente diante dessa possibilidade de vivenciar o conteúdo erótico de forma mais real.

Escolher ser uma camgirl se enquadra exatamente no modelo de negócios que o mundo atual prega: fazer o que se gosta, pagar as contas da casa e ainda ditar os horários que deseja estar online… tudo isso ao alcance de um simples clique.

Mas, para conseguir se dar bem como camgirl, é necessário ter maturidade suficiente para trabalhar sua própria autoestima, se olhar no espelho cada vez mais gostosa e sedutora, saber brincar com as suas curvas a ponto de deixar qualquer um babando e querer ganhar um bom dinheiro.

Gueixa, modelo do CameraHot.com, por exemplo, afirma ter escolhido trabalhar como camgirl pela liberdade e flexibilidade de horários, “além da forma divertida e gostosa de ganhar dinheiro e conhecer gente nova o tempo todo”, finaliza a moça.

Todas as meninas que optaram por ser camgirl afirmam que foi com essa atividade, sem ter que perder tempo saindo de casa, que conseguiram criar a independência sexual e financeira, tomando as rédeas da própria vida e ditando quando e quanto trabalhar, sem nenhuma cobrança.

Mas, o que é preciso para ser uma camgirl?

Não basta somente ter uma boa webcam ligada a seu computador para conseguir fazer sua carreia de camgirl alavancar e, como resultado, render ótimos lucros, afinal, muitas das mulheres conseguem ganhar de quatro a 20 mil reais por mês.

Ser uma camgirl significa estar disposta a conhecer o próprio corpo, deixar a timidez de lado e perceber de que forma a sensualidade melhor lhe cabe de acordo com o seu perfil e desejos, se descobrindo cada dia mais bonita e sexy.

Uma camgirl tem de estar sempre disposta a conhecer mais do universo erótico e gostar disso, ter interesse e curiosidade em descobrir todos os pormenores da sexualidade humana, experimentar coisas novas, empoderando-se sobre seu corpo, sua forma de sentir e proporcionar prazer.

Polly, também modelo do CameraHot, nos conta que depois de se tornar uma camgirl, passou a se sentir muito mais independente e desejada, deixando a timidez de lado com a possibilidade de explorar outros lados de sua sexualidade que ainda não conhecia.

Precauções

Mas, para entrar no universo do sexo ao vivo, é necessário que a mulher tome alguns cuidados, entre eles, a escolha do site que irá criar seu perfil.

Conferir a credibilidade do site e idoneidade dos responsáveis, saber como é efetuado o pagamento, até mesmo perguntando para outras usuárias se é feito em dia e corretamente, são algumas das preocupações que a camgirl deve ter.

Além do mais, é importante que o site tenha uma política de uso e sigilo, a qual os usuários devem seguir a risca com a possibilidade de punição caso isso não ocorra, visando um melhor relacionamento entre o usuário e a camgirl.

Polly diz ter escolhido o CameraHot, por conta da seriedade com que o assunto era tratado. “Tive a possibilidade de escolher em quais Estados minha sala de bate-papo poderia aparecer, além, é claro, de todo suporte com dicas e conselhos e as várias promoções que oferecem, coisa que atrai muito mais usuários.”, afirma a camgirl.

No fim, sabendo escolher o lugar certo, ser camgirl tem sido a escolha de muitas mulheres que querem independência financeira e sexual, além do conforto de fazer home office e ter o horário flexível. E, apesar do universo de camgirls no Brasil ainda ser novo, o que tem se visto nos últimos anos é o crescimento exponencial desse novo formato de sentir prazer e ganhar dinheiro, dando muito o que falar na internet.