A exposição permanente poderá ser visitada no Prédio Institucional da Lagoa do Marcelino

Memorial das Águas na Lagoa do Marcelino
Memorial das Águas na Lagoa do Marcelino

Evento teve atrações com o cantor Loreno Santos e Grupo de dança Rafael Stenzel

Foi realizado o ato de abertura oficial da Exposição permanente “Memorial das Águas” – Navegação Lacustre, no Prédio Institucional da Lagoa do Marcelino, na noite de quinta-feira, 07/01. Mais de 20 fotos retratam um dos episódios mais importantes do município de Osório, mantido até então, somente em livros.

O evento que foi idealizado com o objetivo de resgatar a história da navegação lacustre no município contou com a presença de autoridades – prefeito Eduardo Abrahão; Vice-prefeito, Eduardo Renda, secretários, escritores Marina Raymundo da Silva, Rodrigo Trespach, Anderson Delaves e Fabiano de Souza Marques, comunidade e representantes do Departamento Estadual de Portos, Rios e Canais (Deprc), hoje, a Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH), como o engenheiro aposentado Claudio Lübbe; diretor da Superintendência, Renato Moura; engenheiro, Edson Makry e Clara Conceição dos Santos de Borba.

O momento considerado histórico foi marcado pela emoção e o resgate de uma história que valoriza o esforço e a representatividade da navegação lacustre relacionada ao desenvolvimento do município.

O prefeito Abrahão salientou que a Navegação Lacustre é a própria história do município. “Fazer o resgate dos caminhos das Águas na Lagoa do Marcelino é como estivéssemos resgatando a própria história. Essa exposição revive a história – que também é das famílias de Osório, em especial das do Porto Lacustre – para que possamos viver com maior intensidade. A presença dos representantes do Deprec como do Dr. Cláudio, porque eles dividiram conosco o avanço na área da cultura, todos sentem-se partícipes desse processo e homenageadas. A cidade só o que é pelas pessoas que ela tem”

O engenheiro aposentado Claudio Lübber considerou a homenagem muito justa por ser esse serviço, a raiz do desenvolvimento do município de Osório. “O Serviço de Transporte entre Palmares do Sul a Torres (STPT) foi o pioneiro na área do transporte organizado do Estado, reunia atividade de navegação, ferrovia e rodovia. Foi o marco inicial da evolução de Osório. Ligava Palmares até Torres, Palmares a Osório por ferrovia e Osório a Torres pelo cordão lacustre, através da navegação. Não tinha outro meio de transporte, ou era por cavalo ou pela praia. Todo o transporte de carga e pessoas era através disso. O município de Osório impulsionou o desenvolvimento do Litoral Norte gaúcho”, lembrou Lübber.

O vice-prefeito Eduardo Renda ressaltou que todo o processo de desenvolvimento da região partiu do Porto de Osório. “Esse é um dia histórico e graças a visão do nosso prefeito Abrahão e ao trabalho da cultura, estamos oferecendo essa exposição à comunidade”.

A Assessora de Cultura, Mailor Kingéski destacou a sua satisfação em fazer parte do resgate dessa história. “É muito gratificante para a nós da cultura de Osório, sermos protagonistas desse ato que é início de uma cultura positiva e viva, ver as pessoas relembrando e mostrando as fotos que estão no Prédio Institucional. Como curadora desta exposição digo que é muito importante para as pessoas poder vivenciar essa história”.

O Secretário de Desenvolvimento e Turismo, Antônio Marculan destacou que é uma grande alegria estar vivendo o momento do resgate cultural. “A Secretaria tem a missão de manter a exposição disponível para o público para que a história seja contada e levada à comunidade”.

Na ocasião também foram lançados pela Assessoria de Cultura, os projetos de implantação do Hino de Osório nas Escolas Municipais e Recanto dos Poetas, focado no azulejo.

​Texto: Eliana Izaias/PMO

Fotos: ​Eliana Izaias e Adriano Lima/PMO

Isso vai fechar em 0 segundos