Pierre Emerim acredita que milhões de litros de óleo foram derramados no mar na noite de quarta-feira

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O prefeito de Imbé, Pierre Emerim (PDT), criticou nesta quinta-feira a infraestrutura de operação da Petrobras, o que, segundo ele, contribuiu para o vazamento de petróleo que ocorreu em uma estação da Transpetro. Em entrevista à Rádio Gaúcha, Emerim afirmou que a companhia reduziu as equipes de trabalhadores marítimos a um número insuficiente para atuar na prevenção de um acidente como o da noite de quarta-feira.

— Já havia denunciado isso inclusive ao Ibama. Já havia alertado o governo, até a Fepam, da redução feita pela Petrobras — comentou Emerim, que está em Brasília.

O prefeito também revelou que, segundo trabalhadores que presenciaram o acidente, o vazamento durou mais de 30 minutos. Por isso, acredita que milhões de litros de petróleo foram derramados na água.

— Quando tinha uma quantidade maior de trabalhadores, o problema quase não existia. Havia uma prevenção — declarou.

O vazamento ocorreu na orla de Tramandaí, onde existem duas monoboias, situadas a quatro e seis quilômetros da costa. Elas servem para bombear petróleo para dentro dos navios da Petrobras.

Conforme informações da Transpetro, devido ao forte vento, um dos mangotes que liga a monoboia ao navio para a passagem do óleo se desconectou, provocando o vazamento. O acidente teria ocorrido no equipamento mais distante da orla.

Consultada pela Zero Hora, a Transpetro informou pela assessoria de imprensa que irá se manifestar sobre as causas do vazamento ainda na manhã desta quinta-feira.

Fonte: ZH

Isso vai fechar em 0 segundos